Segundo uma nota do Governo cabo-verdiano, “as relações do país com o FMI vêm assumindo várias modalidades ao longo dos anos, estando neste momento resumidas às consultas anuais”.

O executivo considera que “a melhor forma de aprofundar as relações com o FMI é através de um programa suportado pelo Policy Coordination Instrument (PCI)”, com vista a “um envolvimento mais efetivo do FMI, tendo em vista garantir a estabilidade económica e, ao mesmo tempo, promover a aceleração do crescimento económico e do emprego – condição indispensável à redução da pobreza nas suas várias manifestações”.

“Nos últimos anos, Cabo Verde tem dado passos firmes no sentido de assegurar a estabilidade macroeconómica e promover o crescimento sustentável, com suporte dos parceiros de desenvolvimento, entre os quais, o FMI”, segundo o Governo cabo-verdiano.

Nesta visita a Cabo Verde, Tao Zhang e a sua delegação vão cumprir “um intenso programa de contactos com as autoridades nacionais”, entre as quais o primeiro-ministro, o ministro das Finanças, o secretário de Estado das Finanças, deputados e representantes do setor financeiro.

Tao Zhang estará em Cabo Verde até sábado.

Publicidade