O Festival Internacional de Cinema DocLisboa vai dedicar retrospectivas ao cinema da Alemanha de Leste e ao trabalho da cineasta libanesa Jocelyne Saab (1948-2019), na 17.ª edição da iniciativa, que decorre em Outubro em vários espaços de Lisboa.

No ano em que se comemora o 30.º aniversário da queda do Muro de Berlim, o DocLisboa assinala a efeméride com a retrospectiva Ascensão e Queda do Muro – O Cinema da Alemanha de Leste, segundo um comunicado divulgado esta segunda-feira.

“Esta retrospectiva tem como objectivo mostrar a abundância de formas e temas nas produções cinematográficas da Alemanha Oriental (…): filmes de propaganda e proibidos, ficções e documentários, curtas e longas, realizados por várias gerações de cineastas”, de Konrad Wolf, Gerhard Lamprecht e Karl Gass a Winfried Junge e Gerhard Klein, passando por Jürgen Böttcher, Volker Koepp, Iris Gusner, Andreas Voigt, Helke Misselwitz e Thomas Heise.

O estúdio estatal de cinema DEFA (Deutsche Film Aktiengesellschaft) foi fundado em 1946, logo após a Segunda Guerra Mundial, tendo funcionado até 1991.

Os filmes incluídos na retrospectiva “retratam o povo alemão por vezes acompanhando-o ao longo dos anos a viver num país ferido num território ferido”, acrescenta o comunicado. “Reconstrução, juventude, mulheres, trabalho, vida quotidiana, a cena musical e a vida artística e a cidade de Berlim são alguns dos tópicos recorrentes nestes filmes que se servem de diversas linguagens cinematográficas”, refere ainda a organização, salientando que ver estes filmes “significa não apenas desenterrar o passado, mas também repensar o presente”.

A programação da 17.ª edição do DocLisboa, que decorre entre 17 e 27 de Outubro, inclui ainda uma retrospectiva dedicada ao trabalho da “cineasta, fotógrafa, jornalista, intelectual refinada e feminista” libanesa Jocelyne Saab, que morreu este ano. A organização do festival recorda que o cinema de Jocelyne Saab, “feito de documentários, reportagens, filmes de ficção, tem como ponto de partida a cidade de Beirute para depois atravessar o Médio Oriente, o Mediterrâneo e diferentes expressões artísticas, com um olhar intenso e ao mesmo tempo alegremente surrealista”.

As retrospectivas da 17.ª edição do DocLisboa são antecipadas já a 26 de Julho, numa sessão ao ar livre na Cinemateca Portuguesa, às 22h30, com a exibição de Paule in Concert, de Lew Hohmann, e Lettre de Beyrouth, de Jocelyne Saab.

Publicidade