Em Moçambique, a editora Trinta Zero Nove vai comemorou o Dia Internacional da Tradução com a apresentação de três títulos, designadamente: A perseverança, de Raymond Antrobus; Eu não tenho medo, de Niccoló Ammaniti; e No oco do mundo, colecção de contos traduzidos no Concurso de Tradução Literária 2015 – 2018.

A cerimónia de apresentação dos três livros aconteceu segunda-feira (30) no Auditório do BCI, na cidade de Maputo. Além da disponibilização oficial das obras literárias aos leitores, a cerimónia serviu para a organização entregar aos vencedores os Prémios da 5ª Edição do Concurso de Tradução Literária.

No evento da editora Trinta Zero Nove, hpuve leitura encenada do conto ‘No oco do mundo’, pelo grupo teatral ‘Otheya’, que fez uma interpretação em língua de sinais moçambicana, além dos habituais discursos sobre os livros e, no caso, sobre a nova editora nacional.

Ora, a efeméride da Tradução foi instituída pela UNESCO, em 1991, no dia de São Jerónimo, tradutor da primeira versão da Bíblia em Latim (a ‘vulgata’) e santo patrono dos tradutores, realça a editora Trinta Zero Nove, acrescentando: “A data constitui uma oportunidade para os profissionais da tradução encontrarem-se para debater e divulgarem a sua atividade e para conviverem com colegas e clientes”. O propósito é sempre o de mostrar a importância da tradução na preservação das línguas indígenas num mundo cada vez mais globalizado. “Em Moçambique, o Dia Internacional da Tradução é celebrado desde 2010, ano em que se deram os primeiros passos para a constituição da Associação de Tradutores e Intérpretes Moçambicanos”, avança a nota da editora.

Com efeito, inserido nas festividades do Dia Internacional da Tradução, foi organizada a 5ª Edição do Concurso de Tradução Literária – promovido pela S M Traduções, E.I. e a Editora Trinta Zero Nove. O concurso teve como objeto a tradução das línguas alemã, espanhola, francesa, inglesa e italiana para a portuguesa. O objetivo do mesmo é estimular tradutores iniciantes ou potenciais à prática tradutora ao premiar os três melhores textos com valores monetários, livros e diplomas e os melhores cinco participantes com a publicação das suas traduções na coletânea ‘O salvador do mundo’, com lançamento previsto para 30 de Setembro de 2020.

De igual modo, o concurso incluiu também uma oficina de tradução literária, realizada entre 7 e 28 de Fevereiro de 2017, onde os concorrentes vencedores das edições 2015 a 2018 tiveram a oportunidade de trocar ideias e receber tutoria de Sandra Tamele, tradutora de ‘Io Non Ho Paura’, de Niccolò Ammaniti, para a língua portuguesa. O resultado é a coletânea de contos ‘No oco do mundo’.

Editora Zero Nove e Compromisso com a tradução

A editora Trinta Zero Nove foi fundada ano passado e é a primeira editora vocacionada para publicação de tradução literária em Moçambique. Ficou em 2º  lugar no Prémio da Incubadora CREATEC (Indústria Criativa e Negócios Digitais) e é parceira da Worldreader, ONG internacional que disponibiliza tecnologia de baixo custo para promoção de um futuro onde todos possam ser leitores e ter acesso à literatura. Tem como missão criar e empoderar uma geração de leitores globais e atuais em Moçambique através da tradução e publicação, em formatos inovadores, inclusivos e a preço acessível, de narrativas atuais de autores de renome de todo o mundo, com particular foco nas jovens escritoras.

Portanto, a visão é a de enriquecer bibliotecas particulares com narrativas atuais, premiadas e inspiradoras para empoderar jovens, particularmente mulheres, para fomentar a emergência da autoria feminina em Moçambique. Tem os seguintes títulos: Eu não tenho medo, de Niccolò Ammaniti (Itália); Sem gentileza, de Futhi Ntshinguila (África do Sul); A Perseverança, de Raymond Antrobus (Reino Unido); O homem que matou o Apartheid; de Harris Dousemetzis (África do Sul); Líquida, de Anna Felder (Suíça), entre outros.

Publicidade