Em comunicado enviado na quinta-feira à noite à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), em Portugal, a elétrica indica que a EDP Brasil, que é participada em 51% pela EDP, “assinou um contrato de compra e venda de ações com a Statkraft Energias Renováveis”, prevendo a alienação da EDP Pequenas Centrais Hidroelétricas e da Santa Fé Energia, que detêm, respetivamente, sete e uma central mini-hídrica.

“As oito centrais mini-hídricas em questão situam-se no Estado do Espírito Santo e totalizam 131,9 MW [megawatt] de capacidade instalada e 68,8 MW médios de garantia física, com prazo final de concessão entre 2025 e 2031”, refere a nota ao mercado.

Com o negócio, a EDP espera um encaixe de 591 milhões de reais (140 milhões de euros), valor que resulta da diferença entre os 704 milhões de reais (167 milhões de euros) da transação e de 113 milhões de reais (26,7 milhões de euros) em dívida líquida estimada.

Para ser concretizado, falta o aval da autoridade da concorrência brasileira, assim como do Conselho Administrativo de Defesa Económica e do regulador, a Agência Nacional de Energia Elétrica, ambos também do Brasil.

Publicidade