O desfile teve a participação de 30 grupos, dos quais 14 infantis e 16 de adultos. O vencedor desta edição recebe o prémio de 800 mil kwanzas, o segundo de 600 mil e o terceiro 400 mil.

O vice-governador para a Área Política e Social, Alberto Paca, que assistiu ao desfile, considerou a actuação dos grupos, sobretudo os da classe infantil, “uma clara demonstração do legado da tradição, ligado a valores, usos e costumes da região.” 
O presidente do júri, António Manuel Gime, afirmou, que foi difícil encontrar os vencedores, porque os grupos estiveram melhor preparados em relação aos anos passados. Este ano, a organização introduziu um prémio de participação para incentivar os grupos a concorrerem. Além disso, homenageou o músico João Leca Macaia “Ground Pelé”, com um diploma de mérito, pelo seu trabalho em prol da cultura de Cabinda.

Catepa em Malanje

O grupo União Mundo da Catepa foi o grande vencedor, na classe de adultos, do Carnaval em Malanje, com 1.202 pontos. Nas posições seguintes, ficaram o União Jovens da Vila Matilde e o 1º de Dezembro.
Além de vencer o desfile, o União Mundo da Catepa foi distinguido com o prémio de melhor comandante. Doroteia António, formadora do grupo, disse que a vitória é o resultado de um trabalho árduo e o esforço do colectivo. 
Em relação aos prémios, o primeiro classificado vai receber o valor de 900 mil kz, o segundo 700 mil e o terceiro 600 mil. Os grupos participantes recebem prémios de participação. Este ano, disputaram o título 14 grupos carnavalescos.

Estrela da Paz no Moxico

Este ano, o grupo União Estrela da Paz foi o vencedor do Carnaval, no Moxico. Pela sexta vez consecutiva a vencer a “festa do povo”, o grupo obteve 545 pontos do júri. Como prémio, recebe o valor de 600 mil kz. 
O desfile provincial contou com 16 grupos, dos 22 previstos, e teve como segundo classificado o grupo Mbongue ya Kanjema, que recebe o prémio de 500 mil kz. O terceiro lugar ficou com o União 11 de Novembro de Menon-gue, a quem cabe o valor de 400 mil kz.
O responsável do grupo vencedor, Francisco Elavoco, disse que a vitória superou toda a expectativa do trabalho árduo dos ensaios e felicitou os outros grupos concorrentes. “O segredo para a conquista de 12 edições é a preparação, empenho e vontade de vencer.”

Os brilhos da Lunda

Com a fusão de dois estilos de dança, típicos da cultura da Região Leste, a txianda e a kassekumuna, o Brilhos da Lunda venceu o Carnaval deste ano, devido um acordo com o júri, à apresentação de uma boa coreografia, à indumentária e nível de organização. A segunda posição ficou com o União Matussakeno e a terceira com o 5 de Outubro. 
Nem mesmo a chuva que caiu nas primeiras horas do dia impediu os foliões de participarem da “festa”, que consagrou ainda, na classe infantil, o grupo Mwesseke Utale, ficando em segundo lugar o Maringa do 1º de Maio e em terceiro o Luz Esperança. O primeiro classificado recebe 450 mil kz como prémio.

Ouro Negro na Huíla

O Ouro Negro da Tundavala foi eleito o vencedor desta edição da “festa do povo.” Além de vencer o título, pela sexta vez consecutiva, o grupo arrecadou ainda os prémios de melhor rainha, dança, canção, comandante, alegoria e painel do Carnaval.
O segundo classificado desta edição foi o grupo Esperança. Participaram no desfile 15 concorrentes, dos quais 13 infantis e 2 de adultos. O director do Gabinete da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos na Huíla, Osvaldo Lunda, anunciou a criação de um inquérito para apurar as causas que motivaram a desistência dos restantes quatro grupos inscritos na categoria de adultos.
Além dos grupos, o Carnaval contou ainda com a participação de blocos de animação, ligados à educação e à saúde, assim como da Aliança Francesa e do grupo de dança tradicional Okuino yo Mbembwa.

Publicidade