Jorge Carlos Fonseca foi recebido hoje por mais de uma centena de cabo-verdianos a viver na Alemanha e ouviu e respondeu a perguntas desta comunidade com cerca de 1.100 a 1.200 pessoas registadas.

O chefe de Estado dirigiu-se à plateia em crioulo realçando a “contribuição enorme” dos cidadãos que vivem no estrangeiro.

“Estamos espalhados pelo mundo o que nos dá uma dimensão maior. Podemos ter um ‘corpo’ pequeno, mas temos uma arma grande, adaptamo-nos em qualquer lado porque somos um povo de mistura. Somos um povo aberto para o mundo”, sublinhou o Presidente da República de Cabo Verde.

“Vocês são como embaixadores de Cabo Verde na Alemanha. A imagem do país é dada por vós, especialmente conservando a nossa cultura, a cultura é o melhor que Cabo Verde tem, é o nosso cimento”, referiu.

Jorge Carlos Fonseca entrou na Universidade Técnica de Hamburgo ao som de música cabo verdiana, acompanhada por uma dança levada a cabo por crianças e adolescentes da comunidade.

“O Presidente de Cabo Verde deve sê-lo de todos os cabo verdianos, estejam eles nas ilhas ou no estrangeiro, independentemente do partido que esteja no governo”, revelou.

“Cabo Verde é um país estável, tranquilo, democrático, um país com liberdade. O maior trunfo que o nosso país tem é a estabilidade política e de instituições, porque não temos petróleo, nem diamantes, nem ferro, até água temos pouca, somos um país pequeno. Para progredir temos de ter um país estável e tranquilo”, salientou Jorge Carlos Fonseca.

O Presidente da República de Cabo Verde esteve hoje com o ministro presidente do Estado de Schleswig-Holstein, admitindo, durante o diálogo com a comunidade, que o país foi muito elogiado por Daniel Günther. “Fiquei sem palavras, emocionado, até arrepiado quando ouvi os elogios”, confessou, roubando vários sorrisos à plateia.

“Em África há muitos países com terrorismo, ditaduras, governos instáveis, por isso é muito difícil para um país pobre como Cabo Verde progredir sem tranquilidade”, frisou, ressalvado ainda assim que o país também “tem problemas”, por exemplo, “poucos recursos, como a água”.

A comunidade cabo-verdiana na Alemanha concentra-se principalmente no norte do país, nas cidades de Hamburgo, Bremen e Bremerhaven.

O Presidente da República de Cabo Verde começou a visita à Alemanha na sexta-feira, passou hoje por Kiel e Hamburgo. Na segunda-feira Jorge Carlos Fonseca vai encontrar-se com o homólogo, Frank-Walter Steinmeier em Berlim.

Publicidade