As empresas portuguesas têm a dimensão média mais baixa da União Europeia, a par da Eslováquia, com 3,4 pessoas, divulgou hoje a Pordata, a propósito do Dia das Micro, Pequenas e Médias Empresas (PME).

Numa análise ao tecido empresarial português, com dados até 2018, a base de dados estatísticos da Fundação Francisco Manuel dos Santos concluiu que Portugal tem a dimensão média das empresas mais baixa da União Europeia, com 3,4 pessoas, tal como a Eslováquia, enquanto Alemanha e Luxemburgo têm a média mais alta, de pelo menos 10 pessoas.

De acordo com a Pordata, em 2018, as PME representavam 99,9% das empresas em Portugal e empregava, 78% do pessoal ao serviço.

Aquelas empresas foram ainda responsáveis por 56% do volume de negócios do total das empresas e 60% da riqueza (valor acrescentado bruto) criada no país.

Quanto ao nascimento e morte de empresas, em 2017, Portugal ocupava o segundo lugar no ‘ranking’ europeu da taxa de natalidade, com 16 empresas criadas por cada 100 existentes, e o terceiro na taxa de mortalidade, com 14 empresas extintas por cada 100 existentes.

Isto significa que por cada empresa que encerra, é criada uma nova.

Já em relação ao crédito bancário, os montantes dos empréstimos concedidos às empresas são hoje menos de metade dos valores concedidos entre 2003 e 2005, refere a Pordata.

Desde 2015 que mais de metade dos montantes dos empréstimos são iguais ou inferiores a um milhão de euros.

Em 2018, mais de um quinto das empresas (21%) tinham crédito malparado (menos 10 pontos percentuais que em 2014, ano com maior percentagem de empresas com crédito malparado desde 2002).

Do montante dos empréstimos concedidos, 9% estava em incumprimento em 2018.

Proclamado pela Assembleia Geral das Nações Unidas de 06 de abril de 2017, o Dia das Micro, Pequenas e Médias Empresas assinala-se, anualmente, em 27 de junho, com o objetivo de evidenciar a importância dos pequenos negócios nas economias locais e global.

Publicidade