O endividamento do setor não financeiro da economia aumentou em agosto, face a julho, 400 milhões de euros para 724 mil milhões de euros devido ao aumento do endividamento do setor público, divulgou hoje o Banco de Portugal (BdP).

De acordo com uma nota hoje divulgada, o BdP indica que em agosto de 2019, o endividamento do setor não financeiro situava-se em 724 mil milhões de euros, dos quais 319,8 mil milhões de euros respeitavam ao setor público e 404,2 mil milhões de euros ao setor privado.

Relativamente a julho de 2019, “o endividamento do setor não financeiro aumentou 0,4 mil milhões de euros, devido ao aumento do endividamento do setor público, já que o endividamento do setor privado se manteve o valor idêntico”, sinaliza.

O aumento do endividamento do setor público traduziu-se, sobretudo, no incremento do endividamento face ao exterior, parcialmente compensado pela diminuição do endividamento face às próprias administrações públicas, às empresas e ao setor financeiro.

No setor privado, acrescentou, observou-se uma diminuição do endividamento das empresas privadas face ao setor financeiro (0,2 mil milhões de euros), que foi compensada, pelo aumento do endividamento dos particulares face ao mesmo setor (0,2 mil milhões de euros).

Na nota enviada, o BdP disse que reviu esta série estatística para refletir a revisão da mudança de base das contas nacionais ocorrida em agosto.

Em relação ao mês de julho, o montante foi atualizado dos 728,7 mil milhões indicados inicialmente para os 723,6 mil milhões de euros.

O setor não financeiro da economia abrange Estado, empresas públicas e privadas e famílias, excluindo o setor financeiro.

Publicidade