Um jovem país fazendo todo o esforço para profissionalizar os serviços públicos.  Foi assim que o ministro da Administração Estatal do Timor-Leste definiu os trabalhos de formação dos quadros do funcionalismo público, que começaram do zero desde a restauração da independência do Timor, em 2002.

O país de língua portuguesa, no sudeste da Ásia, tem cerca de 30 mil funcionários públicos para uma população de 1,2 milhão de pessoas. Segundo o ministro, o governo introduziu mecanismos de transparência e prestação de contas, concursos e outros passos para que o cidadão receba os melhores serviços por parte do Estado.

Ele esteve na sede da Nações Unidas para participar do Dia do Serviço Público, marcado pela ONU em 23 de junho.

Nesta entrevista à Rádio ONU, o ministro Babo Soares contou ainda como ele aprendeu a língua portuguesa, já adulto, para se adaptar a nova realidade linguística timorense, que além do tétum, abraçava outra língua oficial, o português, depois da independência.

Publicidade