Promovido pela Câmara Municipal do Sal e organizado pela editora Rosa de Porcelana, o festival de literatura vai ter a participação de 11 escritores cabo-verdianos e 15 estrangeiros, nomeadamente da Alemanha, Brasil, Espanha, Moçambique, Nigéria, São Tomé e Príncipe e Vietname.

De Portugal, o cartaz anuncia o poeta, cronista e crítico literário Pedro Mexia e o escritor e professor universitário Gonçalo M. Tavares.

Todos os escritores e professores vão participar num encontro científico-literário durante o festival, que vai ter ainda quatro conferências, sete mesas de diálogos temáticos, feira de livros, sessões de leitura poética e de leituras autorais diversas e encontros com estudantes da ilha do Sal.

O festival, que será aberto pelo Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, vai homenagear a escritora cabo-verdiana Orlanda Amarílis e o mestre do Romantismo alemão Johann Wolfgang Von Goethe.

Segundo a organização, a sessão de elogio aos homenageados ficará a cargo do antropólogo cabo-verdiano Manuel Brito-Semedo e da diretora do Goethe Institut Portugal, Susanne Sporrer.

Com o evento, a organização pretende “consolidar a ilha do Sal como centralidade literária em Cabo Verde, e inscrevê-la como ilha literária conhecida internacionalmente”.

E também “promover a reflexão e o debate sobre o tema literatura-mundo e, através de parcerias institucionais, circular e fazer dialogar autores e suas obras numa plataforma internacionais”.

O festival é promovido pela Câmara Municipal do Sal e organizado pela editora Rosa de Porcelana, com curadoria científica da professora são-tomense Inocência Mata. Tem apoio do Centro Cultural Português e da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB) de Portugal.

Publicidade