As exportações do setor vitivinícola português aumentaram 0,3% em 2019, para cerca de 296 milhões de litros, face a igual período do ano anterior, enquanto o valor subiu 2,5% para cerca de 820 milhões de euros, foi anunciado.

De acordo com o Ministério do Mar, que cita hoje dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), “2019 foi um ano positivo para as exportações de vinho português”, lembrando que a dinâmica observada se traduziu num crescimento de cerca de 2,3% do preço médio do vinho exportado.

Em 2018, o vinho exportado por Portugal representava um preço médio de 2,71 euros/litro e, já em 2019, o preço médio aumentou para 2,77 euros/litro.

Os números permitem ainda realçar que há a registar também um “comportamento muito positivo” das exportações de vinho português para os países terceiros, quer em volume (10%), quer em valor (6%).

No entanto, há a assinalar a quebra, em volume, registada nas exportações para a União Europeia de cerca de 7%, apesar da manutenção do valor exportado se ter situado nos 0,3%.

Segundo os dados do INE, observou-se uma subida de cerca de 8% do preço médio do vinho nacional exportado para o espaço comunitário, que, no ano de 2018, se situou em 2,70 euros/litro e, no ano de 2019, em 2,91 euros/litro.

Quanto ao vinho certificado de Identificação Geográfica (IG) há também a registar “um aumento significativo”, quer em volume (9%), quer em valor (6%), resultando numa ligeira quebra do preço médio de cerca de 2,2%, salienta o Ministério do Mar.

Em 2019, os 10 principais mercados de destino do vinho português, são a França, na primeira posição, seguida dos Estados Unidos, Reino Unido, Brasil, Alemanha, Canadá, Bélgica, Países Baixos, Angola e por fim a Suíça.

Os dados do INE permitiram concluir também que as exportações destinadas aos Estados Unidos apresentaram “um expressivo crescimento” de 10%, tendo passado de 81 milhões de euros, em 2018, para 90 milhões de euros no ano passado.

No que respeita ao saldo da balança comercial em 2019, o ministério destaca o saldo positivo de cerca de 653 milhões de euros.

Publicidade