“Temos 500 acres (202 hectares) de bonita paisagem histórica e cinco galerias e recebemos meio milhão de visitantes todos os anos. Muitos podem normalmente não ir a um museu de arte contemporânea, mas no YSP [Yorkshire Sculpture Park] encontram algo que os intriga e os estimula – onde podem tocar em esculturas ao ar livre, correr entre elas, ter conversas, ver arte à neve e à chuva e ao sol, admirando ao mesmo tempo as árvores, lagos e jardins”, afirmou à agência Lusa.

O YSP vai receber uma exposição simultaneamente exterior e interior de obras da artista portuguesa Joana Vasconcelos entre 07 de março de 2020 e 03 de janeiro de 2021.

“Beyond” é descrita como a maior exposição de Vasconcelos do Reino Unido até à data, reunindo cerca de 30 obras dos últimos 20 anos, incluindo “Pop Galo” (2016), um gigantesco Galo de Barcelos em azulejo e luzes LED.

Também ao ar livre vai estar “Solitário” (2017), produzida para uma exposição no Museu Guggenheim de Bilbao, uma escultura em forma de anel feita com jantes de automóvel e copos de uísque, numa alusão aos símbolos estereotipados de desejo feminino e masculino, diamantes e automóveis de luxo.

Dentro da galeria Underground Gallery, vão estar, entre outros, “Valkyrie Marina Rinaldi” (2014), uma peça de grandes proporções, feita com croché em lã, tecidos, adereços, insuflável, e cabos em aço, “Marylin”, Marilyn (2009/2011), um sapato alto em grande escala feito de panelas, e “Red Independent Heart #3″ (2013), um coração de Viana feito de talheres de plástico vermelhos.

“Ela coreografou uma espécie de conversa entre esculturas nas galerias, jardins e parques, trazendo energia, calor e cores incríveis para a paisagem de Yorkshire”, elogiou Lilley.

O YSP situa-se numa propriedade com jardins do século XVIII e é um dos maiores espaços de exposição europeus de escultura moderna e contemporânea ao ar livre, tendo exposto trabalhos de artistas como Henry Moore, Barbara Hepworth, Damien Hirst, Phyllida Barlow, Huma Bhabha, Gavin Turk e Ai Weiwei.

Publicidade