O Facebook registrou a maior queda na história do mercado de ações. Os papéis despencaram 18,96% nesta quinta-feira, depois que os executivos alertaram que o crescimento da receita iria desacelerar à medida que a empresa se concentra na privacidade do usuário. O movimento de venda reduziu em cerca de US$ 120,9 bilhões o valor de mercado da empresa – maior perda em um único dia para qualquer empresa listada em bolsa na história, de acordo com a Thomson Reuters.

Para o fundador Mark Zuckerberg, a perda chegou a quase US$ 16 bilhões, segundo a Forbes, que monitora a riqueza dos bilionários em tempo real. Com esse resultado, ele passou do quarto para o sexto lugar na lista das pessoas mais ricas do mundo, com US$ 70,6 bilhões. Na realidade, ele perdeu mais dinheiro em um único dia do que todo o valor de mercado da Molson Coors Brewing ou da Ralph Lauren. Cerca de 175 empresas do S&P 500 valem menos do que os bilhões perdidos por Zuckerberg nesta quinta-feira.

Outros grandes investidores do Facebook também foram atingidos pelos resultados decepcionantes do segundo trimestre. Os cofundadores Dustin Moskovitz e Eduardo Saverin perderam US $ 3,9 bilhões e US $ 2,2 bilhões, respectivamente, no ranking da Bloomberg, enquanto a diretora de operações Sheryl Sandberg perdeu US$ 100 milhões.

Em teleconferência com investidores, o diretor financeiro do Facebook, David Wehner, disse que o Facebook está “colocando a privacidade em primeiro lugar” após o escândalo Cambridge Analytica ter desencadeado uma onda de pressão da imprensa, angústia nos clientes e escrutínio regulatório por todos os cantos do mundo.

Como exemplo de sua nova estratégia, Wehner disse que o Facebook colocará mais força no desenvolvimento de produtos da empresa. Esse movimento pode se tornar um obstáculo às vendas já que o Facebook ganha mais dinheiro com seu feed de notícias do que com seus produtos.

A pior performance anterior da empresa em um único dia ocorreu em 27 de julho de 2012, quando as ações caíram 11,7%. Os papéis despencaram naquele dia depois que a empresa não conseguiu convencer os investidores de que poderia vender publicidade para celular. O celular agora representa 91% da receita de publicidade da empresa.

Pelo menos 16 corretoras cortaram seus preços-alvo para o Facebook depois que executivos da companhia afirmaram que os custos de melhoria de recursos de privacidade dos usuários, bem como desaceleração nos maiores mercados publicitários, vão afetar as margens de lucro da companhia por mais de dois anos.

IMPACTO NOS MERCADOS

A queda nas ações do Facebook levou o Nasdaq a cair mais de 1% nesta quinta-feira, a maior perda diária do índice em um mês, mas ações da indústria subiram após os Estados Unidos e a União Europeia (UE) dizerem que vão negociar sobre comércio.

O índice Dow Jones subiu 0,44%, a 25.527 pontos, enquanto o S&P 500 perdeu 0,31%, a 2.837 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq recuou 1,01%, a 7.852 pontos.

As ações do Twitter, que deverá reportar resultados trimestrais na sexta-feira, caíram 2,9%.

Mas enquanto o Nasdaq e o S&P 500 recuaram, o Dow subiu, em parte devido à força das ações industriais. Os papéis do setor, que têm sido um termómetro das tensões comerciais, foi ajudado após o presidente dos EUA, Donald Trump, e o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, concordarem em trabalhar para resolver as tarifas dos EUA sobre aço e alumínio e as medidas retaliatórias da UE.

Publicidade