Carlos do Carmo recebeu a chave da sua cidade em cena aberta, no final do espetáculo com que, no sábado, disse adeus aos palcos, no Coliseu dos Recreios de Lisboa.

Além do socialista Fernando Medina, subiram também ao palco o primeiro-ministro, António Costa, e a ministra da Cultura, Graça Fonseca.

Ao espetáculo assistiu também o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

António Costa, usando da palavra, enfatizou que a entrega da medalha de mérito cultural, também feita no sábado ao fadista, demonstra “a confiança pelo muito que poderá fazer pela música e cultura portuguesas”.

Coube também ao primeiro-ministro chamar ao palco a mulher de Carlos do Carmo, sua companheira há 55 anos.

O Coliseu dos Recreios esteve esgotado, no sábado à noite, para aplaudir de pé o fadista de 80 anos, e cerca de 60 de carreira, que em palco fez uma retrospetiva da carreira.

O espetáculo abriu com ‘Vim para o fado’, passou em revista poetas, músicos, muitos amigos e os prémios que recebeu e encerrou com um ‘encore’ de “Lisboa menina e moça”, aplaudido de pé.

Publicidade