Segundo João Ferreira, alguns candidatos até já tinham levado os jornalistas dos órgãos de comunicação social públicos (rádio, televisão, jornal ‘No Pintcha’ e Agência Noticiosa da Guiné), mas o Governo “não achou isso correto.

Neste momento, o Governo não consegue dar resposta às necessidades apresentadas em conjunto pelos quatro órgãos, para garantir uma cobertura integral da campanha eleitoral, nomeadamente dinheiro para custear as deslocações de jornalistas, equipamentos de reportagem e viaturas, assinalou o governante.

“O Governo também acha indigno que sejam os candidatos a levar à boleia os jornalistas, sobretudo os dos órgãos públicos”, notou o secretário de Estado da Comunicação Social.

João Ferreira está, contudo, confiante em como a “situação se vai resolver ainda esta semana”.

Com a intervenção do primeiro-ministro, Aristides Gomes, o Governo solicitou um apoio de urgência junto da representação da Comunidade Económica de Estados da África Ocidental (CEDEAO) em Bissau, com vista a cobrir o orçamento apresentado pelos quatro órgãos de comunicação estatais.

Publicidade