Dos 2,7 milhões de dólares (2,4 milhões de euros) de reservas da FIFA, 500 milhões serão utilizados nos próximos quatro anos para investir no futebol feminino, além dos 500 milhões já previstos no atual orçamento.

Para incrementar as competições para mulheres, a FIFA irá promover uma reflexão sobre a criação de uma Liga Mundial Feminina para seleções – no modelo desenvolvido pela UEFA para o futebol masculino, especialmente a Liga das Nações -, com divisões regionais, promoções e descidas, assim como a criação de uma Taça do Mundo de clubes femininos e o desenvolvimento de torneios para categorias de jovens.

A criação ou não dessas competições será decidida em março de 2020.

Além do investimento em fundos próprios, a FIFA também pretende valorizar melhor os contratos assinados para o próximo Mundial feminino, que decorrerá em 2023: “A FIFA planeia renegociar os contratos do Mundial feminino, de modo a oferecer bónus muito superiores às jogadoras”, revelou uma fonte do Conselho de Instância à agência ‘France Press’.

Publicidade