“A boa governação e a qualidade da democracia cabo-verdiana são exemplos a seguir e que nós temos que capitalizar”, declarou Filipe Nyusi, falando após se encontrar com o seu homólogo, Jorge Carlos Fonseca.

Moçambique, prosseguiu, tem interesse em trocar experiências com as autoridades cabo-verdianas naquelas áreas.

“É um país calmo” em contraste com os focos de instabilidade política e militar que se vivem noutros países africanos, insistiu o chefe de Estado moçambicano.

O facto de Moçambique e Cabo Verde partilharem uma língua e história comuns e pertencerem à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) torna as oportunidades de cooperação bilateral mais realistas, acrescentou Filipe Nyusi.

Durante o encontro, foi decidido que Jorge Carlos Fonseca vai realizar uma visita de Estado a Moçambique este ano, para a identificação de áreas de cooperação económica.

A agricultura, turismo, transportes e energias renováveis são os potenciais setores de cooperação entre os dois países.

Jorge Carlos Fonseca participou na quarta-feira na cerimónia de investidura de Filipe Nyusi para o segundo e último mandato na Presidência da República.

Publicidade