O governo angolano e o Fundo Monetário Internacional (FMI) concertaram posições quanto ao fim dos subsídios aos combustíveis que só vai ser aplicado em simultâneo com um programa de transferências sociais para as famílias mais vulneráveis.

Segundo o ministério angolano das Finanças (Minfin), em comunicado, o diretor do departamento africano do FMI, Abebe Selassie, manifestou o seu “alinhamento com a visão do executivo angolano de apenas proceder à remoção dos subsídios aos combustíveis em linha com a implementação” deste programa.

“Nós sentimos que em relação às metas, estamos à vontade e com um bom entendimento do que podemos cumprir. Estamos a trabalhar na preparação dos objetivos de 2020 e o impacto da flexibilização da taxa de câmbio no Orçamento Geral do Estado que deveremos apresentar até ao final do mês à Assembleia Nacional”, disse a ministra Vera Daves de Sousa, em Washington, nos Estados Unidos da América.

Publicidade