O ex-presidente são-tomense, Fradique de Menezes alertou domingo para existência de alguns opositores no seio do poder formado por MLSTP e coligação PCD-MDFM-UDD,  com intenção de sabotar  as ações do primeiro-ministro, Jorge Bom Jesus e do seu executivo como forma de “minar a estabilidade” governativa do País.

Enquanto presidente honorário da União MDFM-UDD, Fradique de Menezes fez estas declarações na cerimónia do primeiro aniversário desta força política que sustenta atual governo de Jorge Bom Jesus.

 Em declarações a imprensa, Fradique de Menezes disse que “a união continua neste governo a dar todo apoio, mas também espera que outros partidos membros façam o mesmo e, que não haja dito por não dito, estando a frente, dizendo uma coisa, mas por detrás, sabotando o papel do Primeiro-ministro, isto não podemos aceitar”.

Tendo denunciado a existência de “ indivíduos que apareçam e que parecem que estão de acordo com primeiro-ministro, com o governo, mas finalmente lá por detrás, podem estar a minar a estabilidade do governo”, Fradique de Menezes exortou que “ não podemos continuar a conviver com isto”.

Disse ainda que “ eu pessoalmente continuo a acreditar no atual primeiro-ministro, mas é necessário que haja coragem de se tomar algumas decisões para que no seio do governo como no seio dos partidos que compõem governo, não existam aqueles que consciente ou inconscientemente podem trabalhar contra o próprio governo”.

Além dos 23 mandatos do MLSTP-PSD, o governo chefiado por Jorge Bom Jesus conta com apoio de cinco assentos da coligação PCD-MDFM-UDD, na base de um acordo de incidência parlamentar entre as duas forças, garantindo uma sustentabilidade de 28 dos 55 mandatos do parlamento são-tomense.

Publicidade