Caifadine Manasse adiantou que 60% dos candidatos serão os atuais deputados da Assembleia da República e membros das assembleias provinciais e 40% serão novos aspirantes à função.

“A composição das listas de candidatos da Frelimo seguirá o princípio da renovação na continuidade, como foi sempre apanágio do partido”, assinalou o porta-voz do partido no poder.

Os candidatos ao parlamento serão escolhidos pelos comités provinciais e os candidatos a membros das assembleias provinciais serão primeiro designados pelos comités distritais e depois pelos comités provinciais, acrescentou.

“Para se fazerem eleger, os candidatos terão de demonstrar idoneidade, responsabilidade e prova de que nunca se envolveram em práticas de desvio da coisa pública”, declarou Caifadine Manasse.

Moçambique terá em 15 de outubro deste ano as sextas-eleições gerais da sua história, a que pela primeira vez se vai juntar a eleição dos governadores provinciais, que até aqui eram designados pelo chefe de Estado.

Publicidade