A técnica da aguarela passou a ocupar um lugar importante na cena artística de Macau, muito devido à influência de pintores que viveram no território, como George Chinnery (1774–1852) e George Vitalievich Smirnoff (1903-1947).

Lai Ieng é diretor da Associação de Artistas da China, vice-Presidente da Associação de Artistas de Guangdong e chefe da Comissão de Supervisão da Associação de Artistas de Macau.

Estudou pintura de aguarela na Associação de Artistas de Macau desde 1970, com Lok Cheong, um pioneiro local desta técnica. Lai já exibiu as suas obras em Macau, Pequim, Portugal, Hong Kong, Taiwan e nos Estados Unidos.

Já Sio In Leong participou em todas as exposições dos membros da Sociedade de Artistas de Macau. Em 1985, ganhou o Prémio de Excelência na Exposição de Jovens Artistas de Macau.

Em 1995, ganhou o Prémio de Excelência (Categoria de Pintura Ocidental) na Exposição Coletiva de Artistas de Macau e, em 2005, uma obra sua foi selecionada como uma das dez melhores da Exposição Anual de Artes Visuais que se realiza também no território.

As suas obras fazem parte de coleções do Museu Nacional de Arte da China, em Pequim, do Museu de Arte de Macau, do Instituto Cultural daquele território e ainda da Fundação Macau. Sio é membro da Associação de Artistas da China, e vice-presidente executivo da Associação de Artistas de Macau.

Por fim, Lei Vai Wa é especializado em pintura a óleo e guache. Em meados de 2015, recebeu o título de “Artista com Virtude e Excelente Aptidão”, que distingue aqueles que tiveram contribuições de vulto para a causa das artes.

Como artista sénior, Lei é agora conselheiro de arte da Associação Internacional de Artistas da China, vice-presidente da Associação de Cultura e Arte de Macau, vice-diretor geral da Sociedade Internacional de Pintura a Óleo de Macau, chefe do comité de supervisão da Academia de Caligrafia de Macau e diretor da Associação dos Artistas de Belas-Artes do território.

Publicidade