“Temos de olhar para os desafios que temos na nossa região de harmonizarmos as nossas estatísticas, para que possamos cada vez mais acelerar a nossa integração, que é um desejo dos nossos líderes da região, para que de facto a SADC esteja cada vez mais integrada”, afirmou o ministro angolano.

Segundo o governante, os países têm hoje desafios de “tornarem as suas economias cada vez mais digitais”, apontando a estatística das telecomunicações e tecnologias de informação como “ponto primordial no intuito de se prestar serviços mais acessíveis à população”.

José Carvalho da Rocha falava hoje na abertura de um ‘workshop’ sobre Estatística das Tecnologias de Informação e Comunicação e Serviços Postais, que decorre até terça-feira, em Luanda, reunindo representantes dos países membros da SADC.

O Ministério das Telecomunicações Tecnologias de Informação (MTTI) divulgou em março passado, que Angola conta com mais de 13 milhões de utilizadores de telemóvel, mais de 170.000 da rede telefónica fixa e quase seis milhões de clientes do serviço de Internet.

As estatísticas do MTTI apontam igualmente que Angola, com mais de 27 milhões de habitantes, contam também com 1.928.237 subscritores de televisão por assinatura.

Para o ministro das Telecomunicações Tecnologias de Informação de Angola, Angola está a desenvolver um Observatório das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, que vai permitir “desenvolver as políticas públicas mais corretas” para o Governo “prestar cada vez melhores serviços aos cidadãos”.

O workshop organizado pelo Instituto Angolano das Comunicações (INACOM) decorre sob a égide da Associação de Reguladores das Comunicações da África Austral (CRASA, sigla inglesa) com o apoio da União Internacional de Telecomunicações (UIT) e a União Postal Universal (UPU).

Publicidade