O conselho de administração dos Estaleiros Navais de Cabo Verde está a ultimar as negociações com um Banco Comercial para encaixar 20 milhões de escudos, frutos de um aval financeiro concedido pelo Governo para investimentos na empresa.

Esta informação foi avançada à Inforpress pelo ministro da Economia Marítima, Paulo Veiga, quando questionado sobre o avanço do processo de privatização e investimentos nos Estaleiros Navais de Cabo Verde (Cabnave).

“Neste momento, se não me engano, foi dado o aval no valor de 20 milhões de escudos. Estive a visitar a Cabnave nestes dias e o Conselho de Administração está a fechar o processo de negociação com um banco comercial da praça, para poder começar os investimentos necessários”, afirmou o ministro.

No entanto, o governante, que acabou de assumir a pasta da Economia Marítima, garantiu que vai “trabalhar arduamente” e “dar continuidade” na procura de um parceiro estratégico para a empresa, para “finalizar o processo ainda neste ano de 2020”.

“Estamos em conversações com vários interessados. São de vários países, a China, países da Europa e do continente Africano. Vamos continuar essas conversações para rapidamente escolhermos o parceiro estratégico para os investimentos necessários e rápida expansão da Cabnave”, concretizou Paulo Veiga.

O ministro lembrou que o projecto da Zona Económica Especial para a Economia Marítima preconiza a mudança da indústria pesada da baía do Mindelo para a zona de Saragaça.

Por isso, ajuntou, o Governo tem que encontrar um parceiro estratégico com a mesma visão.

Mas o governante sublinhou que o processo da mudança “deverá acontecer nos próximos 15 anos”, pelo que “leva algum tempo em encontrar e definir os moldes como vão trabalhar” com o parceiro estratégico que vai fazer a exploração da Cabnave.

Publicidade