Guiné-Bissau: ANAG lamenta falta de financiamento para execução de 25 novos projectos

0
Jaime Boles Gomes, Presidente da ANAG

O Presidente de Associação Nacional dos Agricultores da Guiné (ANAG) lamentou hoje a falta de financiamento para  a execução de 25 novos projectos de diversificação da produção que a organização tem em perspetiva.

Jaime Boles Gomes, em entrevista exclusiva à Agência de Notícias da Guiné, salientou que a responsabilidade de diversificação da produção nacional  cabe ao governo em colaboração com os agricultores.

Sublinhou que a ANAG tem,  entre outros, os  projectos de criação de animais e de cultivo de grande quantidade de diferentes tipos de produtos nacionais de modo a permitir o aumento de rendimento para o país.

“Temos a ideia de aumentar a economia nacional através de diversificação da produção de grande quantidade de alguns produtos com o objectivo de não limitar simplesmente em produzir para o nosso sustento, mas também  para a exportação”, disse o Presidente de ANAG.

Acrescentou que na Guiné-Bissau o produto mais exportado é a castanha de caju e que só isso não basta para promover o desenvolvimento de uma nação.

“A Guiné-Bissau precisa aumentar a produção e ter fábricas para a transformação dos produtos com a finalidade de criar mais emprego no país e diminuir o índice de banditismo”, defendeu aquele responsável.

Jaime Boles Gomes disse que a vontade de trabalhar não lhes falta e que na realidade só carecem de meios para desenvolver os seus projectos.

Publicidade