O Governo angolano tem um “pensamento positivo” face à situação política na Guiné-Bissau, cuja segunda volta das eleições presidenciais está marcada para 29 deste mês, afirmou hoje o ministro das Relações Exteriores.

A posição foi hoje expressa por Manuel Augusto, em conferência de imprensa, para anunciar a realização entre quarta-feira e sexta-feira da reunião ministerial do Conselho de Paz e Segurança da União Africana, que Luanda vai acolher.

O chefe da diplomacia angolana frisou que a recente situação de instabilidade política na Guiné-Bissau não será tema da reunião, tendo em conta que na sessão anterior do Conselho de Paz e Segurança, realizada em outubro, em Adis Abeba, na Etiópia, foi aprovada uma declaração sobre o país lusófono.

O ministro das Relações Exteriores referiu que o Governo angolano reitera a declaração, manifestando satisfação pela tranquilidade na primeira volta das eleições presidenciais, no que se refere à adesão da população e ao caráter pacífico com que decorreu.

“Agora cabe aos atores guineenses prepararem-se para, no dia 29 de dezembro, irem para a segunda volta e poderem escolher o próximo chefe de Estado. Estamos positivos em termos de pensamento no que diz respeito à Guiné-Bissau”, vincou.

Segundo o governante angolano, a reunião ministerial de paz e segurança em Luanda da União Africana “não deverá fazer nenhuma alusão à Guiné-Bissau e se o fizer será no sentido de apoiar todos os esforços para que o ciclo eleitoral seja concluído de forma pacífica e livremente aceite por todos”.

Publicidade