Num comunicado divulgado à imprensa, o presidente da Comissão Nacional de Eleições (CNE), José Pedro Sambú, pede às candidaturas e aos cidadãos para cumprirem o “código de conduta e ética eleitoral de forma a proporcionar um ambiente favorável, para que as eleições decorram num clima de paz, de reforço da cultura da tolerância política recíproca”.

José Pedro Sambú pediu também para o respeito dos valores e princípios do Estado de Direito para que se crie um “ambiente conducente a eleições livres, justas, transparentes, pacíficas e democráticas”.

No comunicado, o presidente da CNE exorta as candidaturas a absterem-se de utilizar “propaganda indecorosa e linguagem ou prática de ações que possam conduzir ou incitar o ódio, intimidação, violência e outros males que possam assolar a consciência social e moral dos cidadãos”.

Às forças de segurança e à comunicação social, o presidente da CNE pede para serem isentos, profissionais e tratarem as candidaturas de forma igual.

“A CNE reafirma, uma vez mais, o seu total empenho e dedicação nos termos do seu mandato de fazer eleições livres, justas e transparentes”, concluiu no comunicado.

A segunda volta das eleições presidenciais da Guiné-Bissau, marcada para dia 29, vai ser disputada entre Domingos Simões Pereira, apoiado pelo Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), e por Umaro Sissocó Embaló, apoiado pelo Movimento para a Alternância Democrática (Madem-G15).

A campanha eleitoral tem início sexta-feira e termina no dia 27.

Publicidade