O Presidente guineense e recandidato ao cargo nas eleições de 24 de novembro diz que nunca será líder de nenhum partido político depois de deixar a presidência, mas que não poupará forças para ajudar o seu país.

Em entrevista à agência Lusa em Lisboa, José Mário Vaz afasta assim a hipótese de se candidatar à liderança do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), que o apoiou na sua candidatura em 2014, mas com o qual está atualmente em guerra aberta.

O Presidente demitiu em 2015 o Governo chefiado por Domingos Simões Pereira, depois de o PAIGC ter conquistado a maioria absoluta um ano antes, e desde então já recusou duas vezes o nome do líder do partido para o cargo de primeiro-ministro.

Publicidade