“Guiné-Bissau vai estar ligada ao cabo submarino o mais tardar até julho de 2018”, diz ministro dos Transportes e Comunicações

0
Fidélis Forbs, Ministro dos Transportes e Comunicações da Guiné-Bissau

O ministro dos Transportes e Comunicações, afirmou que a instalação de cabo submarino de telecomunicacões no país está programada para até meados de julho de 2018.

Fidélis Forbs, em declarações à imprensa após a visita que efectuou hoje ao navio de avaliação do solo marítimo guineense por onde vai passar o cabo submarino, disse que já ultrapassaram a fase mais importante da instalação do cabo submarino.

“A próxima fase será a vinda ao país do navio que irá começar a rolar o cabo submarino do Senegal até a Guiné-Bissau bem como construção de centrais de interconexão de dados no âmbito do Projecto da Organização para Aproveitamento da Bacia do Rio Gâmbia (OMVG”, explicou.

O governante disse que anteriormente as comunicações intercontinentais se faziam via satélite, informando que actualmente quase todos os países já comunicam através de cabo submarino.

“Isso faz parte de concerto das nações e como a Guiné-Bissau faz parte não pode fugir à regra. Foi nesse quadro que vamos conectar com outros continentes como por exemplo a Europa”, sublinhou.

Fidélis Forbs salientou que foi uma fibra óptica que tem o “Segmento 1” que saiu desde a França até Dakar e o “Segmento 2” partiu da capital senegalesa até a Costa de Marfim, o “Segmento 3”, saiu de Abidjan até São Tomé e Principe e o quarto até África de Sul.

“Portanto a Guiné-Bissau faz parte do “Segmento 2”. É um projecto extremamente importante para o país porque vai permitir uma redução significativa dos custos de telecomunicações”, informou.

O ministro dos Transportes e Comunicações disse que a ligação do país ao cabo submarino realiza-se no âmbito do projecto sub regional denominado Warchip financiado pelo Banco Mundial, no valor de 35 milhões de dólares e visa a criação de infraestruturas de base de telecomunicações.

Explicou que foi nesta perspectiva que o referido navio está no país para fazer uma radiografia do  solo marítimo para constatar onde irá passar o cabo submarino desde Senegal até a localidade de Suru, no sector de Prábis, região de Biombo, Norte da Guiné-Bissau.

“Isso é o processo mais importante na instalação do cabo submarino no país. O barco iniciou o mesmo trabalho desde o passado dia 21 de Setembro do ano em curso”, disse, acrescentando que isso significa que os trabalhos do reconhecimento do solo marítimo nacional já estão no fim.

O ministro dos Transportes e Comunicações foi acompanhado nesta visita ao navio de avaliação do solo marítimo guineense pelos Diretores-gerais da Orange Bissau e da MTN.

Publicidade