O ministro explicou que foi activada de imediato uma operação com os serviços de segurança dos Camarões e assegurou que os mercenários mencionados foram contratados por militantes de certos grupos políticos da oposição radical com o apoio de algumas potências, cujos nomes não mencionou.

Em 27 de Dezembro, a polícia dos Camarões deteve cerca de 30 homens armados na fronteira com a Guiné Equatorial.

Nesse mesmo dia, foram encerradas as fronteiras da Guiné Equatorial com o Gabão e Camarões, onde ocorreram as prisões.

Desde as eleições gerais de 12 de Novembro, nas quais o poder obteve 99 dos 100 assentos no parlamento, o partido opositor Cidadãos pela Inovação (CI), denuncia dezenas de prisões de seus militantes nas capitais política, Malabo, e económica, Bata.

Publicidade