O balanço do setor hoteleiro do réveillon 2019/2020 revela recorde de público, disse hoje (3) à Agência Brasil o presidente da Associação de Hotéis do Rio de Janeiro (ABIH-RJ), Alfredo Lopes. “Acho que foi recorde de público tanto em Copacabana como nos próprios hotéis”.

Os números disponibilizados nesta sexta-feira pela ABIH-RJ indicam que a ocupação nos bairros de Ipanema e Leblon, na zona sul, atingiu 98%. Na região central da cidade e em Botafogo, zona sul, o índice alcançou 97%, com a Barra da Tijuca, na zona oeste, registando 96% dos quartos ocupados. Em Copacabana, onde ocorreu a festa da virada, que reuniu na orla um total de 2,9 milhões de pessoas, a ocupação foi de 100%, disse Lopes.

O presidente da ABIH-RJ salientou que a ocupação na rede hoteleira foi prolongada. “O turista ficou mais tempo na cidade e também tivemos recorde de atracações [de navios]. Tudo isso contribuiu para um maior número de turistas na cidade”.

Carnaval

O anúncio feito pelo presidente da Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro (Riotur), Marcelo Alves, no último dia 1º, de que realizará ação estratégica e inédita no próximo dia 12, para fazer com que o turista continue na cidade, com a realização de um show de abertura oficial do carnaval, aproveitando o palco principal da festa do réveillon em Copacabana, dá ao setor hoteleiro uma expectativa positiva em termos de ocupação no carnaval.

Segundo manifestou Alfredo Lopes, essa antecipação da divulgação do carnaval, que vai ser no final de fevereiro, “é muito boa. Nós já estamos com a ocupação dos hotéis bastante elevada”. Alguns empreendimentos já estão com 80% de ocupação para o período carnavalesco, revelou o presidente da ABIH-RJ.

“A divulgação antecipada propicia aumento das reservas, até porque nós achamos que assim como ocorreu no réveillon, o carnaval vai ser uma festa com predominância de hóspedes nacionais”. A maior parte dos 1,7 milhão de turistas que assistiram à virada do ano no Rio era de brasileiros.

Lopes acredita que a proporção continuará sendo de 80% de hóspedes nacionais e 20% de visitantes estrangeiros no carnaval deste ano. Avaliou que o dólar muito alto facilitará ao brasileiro fazer turismo no próprio país. “Então, acho que vai ficar nessa proporção. E os paulistas lideram, disparado!”, concluiu o presidente da ABIH-RJ.

Publicidade