“A IHS Markt baixou a perspetiva de crescimento do PIB de Angola em 2019 para uma contração de 0,7%”, disse a analista Thea Fourie à Lusa, argumentando que “a contenção orçamental, garantido pelo apoio do FMI numcontexto preços baixos do petróleo, combinada com a produção abaixo do esperado e as pressões de liquidez externas são a razão desta previsão”.

Em declarações à Lusa no seguimento da revisão da projeção do crescimento da economia mundial para 2,6% este ano e 2,5% em 2020, a analista diz que a evolução da economia de Angola motivou também uma revisão da projeção para o rácio da dívida pública face ao PIB no final do ano, que subiu agora para 90,9%.

“Este crescimento do peso da dívida vai continuar a pressionar as obrigações do Governo no cumprimento da dívida, nas necessidades de liquidez em moeda estrangeira e nos esforços de consolidação orçamental”, aponta a analista.

Sobre a desvalorização do kwanza nas últimas semanas, Thea Fourie diz que o panorama deverá manter-se e isso vai motivar cortes na taxa de juro ainda este ano.

“A forte desvalorização do kwanza face ao dólar durante outubro vai limitar o Banco Nacional de Angola, que deverá cortar ainda mais a taxa de juro durante 2019”, afriam, prevendo que a desvalorização prossiga em 2020 devido aos baixos preços do petróleo nos mercados internacionais e ao “grande diferencial que vai persistir” entre a taxa de câmbio oficial e o mercado paralelo.

Publicidade