O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, afirmou ontem que 45 anos de Cabo Verde independente é um percurso que “orgulha e honra” a nação cabo-verdiana, sendo ambição alcançar o desenvolvimento sustentável.

“São 45 anos de um processo que teve os seus desenvolvimentos. Nós estamos num País completamente diferente de há 45 anos, ganhamos grandes batalhas num País resiliente, perseverante e com capacidade de ultrapassar dificuldades”, disse Ulisses Correia e Silva, que falava aos jornalistas no final da sessão especial da Assembleia Nacional para celebrar mais um aniversário da Independência Nacional.

O chefe do Governo salientou, contudo, que a pandemia da covid-19, que afecta Cabo Verde e o mundo, tem colocado “situações difíceis” a Cabo Verde, na medida em que está a provocar não só problemas sanitários, mas também a nível de recessão económica, e quebras de crescimento, a nível do desenvolvimento do rendimento.

E perante todos esses “problemas e o contexto de incertezas”, o foco tem de estar apontado para o desenvolvimento sustentável.

Para tal, indicou um conjunto de factores que na sua perspectiva poderá acelerar o desenvolvimento do País.

“Esse desenvolvimento sustentável passará por retomar o crescimento económico, por aproveitar mais os recursos endógenos. Nós estamos a falar da economia azul da transição energética mais acelerada, de uma estratégia de água que possa conduzir a uma sustentabilidade do sector agrícola, mas também que sirva para podermos ter mais sustentabilidade no consumo doméstico, na indústria e na economia”, sustentou.

A sessão solene comemorativa dos 45 anos da independência de Cabo Verde, que este ano contou com um número reduzido de pessoas, devido à pandemia da covid-19, assinalou discursos dos representantes dos três partidos políticos com assento parlamentar (MpD, PAICV, UCID), do presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos e Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca.

Todos colocaram tónica nos impactos da pandemia de covid-19 em Cabo Verde e a apelaram à conjugação de esforços no combate à propagação do vírus, bem o reforço das políticas públicas para acudir os mais vulneráveis nesse momento difícil do país.

Publicidade