A Índia é o destino de 34,3% do valor da exportações, ou seja, vale 1,6 mil milhões de dólares, quase o dobro das vendas para a África do Sul, que era primeiro no anuário de 2016 e passou a ser o segundo país da lista, valendo 18,7% do total exportado por Moçambique em 2017, lê-se no documento consultado hoje pela Lusa.

Na lista dos dez primeiros em valor das exportações, seguem-se Países Baixos (10%), Itália (5,7%), China (5,3%), Reino Unido (4,3%), Singapura (2,9%), Bélgica (1,8%), Hong Kong (1,8%) e Espanha (1,7%).

Portugal passa da 16.ª posição em 2016 para a 18.ª, correspondendo-lhe 0,46% do total de exportações.

No ‘top 10’ de produtos exportados por Moçambique, o carvão mineral mantém-se em primeiro, seguindo-se as barras e perfis de alumínio, energia elétrica, gás natural, tabaco, areias pesadas, madeira, açúcar, banana e castanha de caju.

No outro prato da balança comercial, a África do Sul mantém-se como o país de onde Moçambique mais importa, com um valor de 1,6 mil milhões de dólares, equivalente a cerca de um terço do total.

Seguem-se Emirados Árabes Unidos (9,5%), China (8,5%), Países Baixos (8,5%), Índia (7,8%), França (4,4%), Portugal (4,2%), Tailândia (2,3%), Japão (2,2%) e EUA (1,9%).

Portugal desce de quinto para sétimo lugar da lista, passando a sua parcela de 5,8% em 2016 para 4,2% em 2017.

A categoria de maquinaria lidera a lista de produtos importados, seguindo-se o gasóleo, cereais, energia elétrica, automóveis, gasolina, medicamentos, cimento hidráulico, óleo alimentar e cervejas.

Publicidade