O Indicador de Clima Económico (ICE) de Moçambique consolidou em janeiro uma trajetória ascendente registada desde novembro de 2019, segundo dados hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), anteriores ao impacto da pandemia de covid-19.

O indicador fixou-se nos 97,4 pontos, subindo em relação aos 94,8 de dezembro.

O ano arrancou com uma “apreciação favorável das expectativas da procura, que mais uma vez suplantaram as apreciações negativas da perspetiva de emprego”, nota o boletim do INE sobre o tema.

“O clima favorável em janeiro” foi transversal “a todas as atividades, com exceção dos serviços de transportes que sofreram depreciação pelo segundo mês consecutivo”, conclui.

Os indicadores de Confiança e de Clima Económico constituem uma publicação mensal sobre a conjuntura económica de Moçambique, compilada com base num inquérito de conjuntura realizado também todos os meses pelo INE às empresas do setor não financeiro.

“O estudo expressa a opinião de agentes económicos acerca da evolução e perspetiva da sua atividade, particularmente sobre emprego, procura, encomendas, preços, produção, vendas e limitações de atividade”, explica o INE moçambicano.

As publicações dos próximos meses deverão começar a refletir o impacto da covid-19, já anunciada pelas entidades empresariais.

A Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA) calcula que haja prejuízos avultados e já pediu medidas de apoio excecional por parte do Governo.

Publicidade