A empresa indonésia Buzi Hydrocarbons vai começar em breve a fazer perfurações no terreno para explorar hidrocarbonetos no bloco de Búzi, em Moçambique, uma área ainda relativamente pouco explorada neste país rico em recursos naturais.

De acordo com a edição digital do jornal moçambicano Notícias, está a decorrer atualmente “a preparação do local para a perfuração de cerca de 15.225 pés de profundidade nos poços de BD1 e BD2, ambos no interior do campo de gás de Búzi”, caracterizada como “uma das regiões menos exploradas até ao momento do ponto de vista de conhecimento do seu potencial em hidrocarbonetos”.

Segundo o jornal, a única exploração comercial de gás natural na bacia sedimentar de Moçambique está a ser feita pelo grupo sul-africano Sasol, nomeadamente nos jazigos de Pande e Temane, na província de Inhambane, que exporta a maior parte da produção para a África do Sul.

Se a prospeção e posterior exploração forem bem sucedidas, aquela empresa prevê que a produção comercial, em ambos os poços, inicie em 2018, tendo já sido identificados potenciais compradores para o gás.

A exploração resulta de um contrato de concessão para a exploração e produção de hidrocarbonetos com o Estado moçambicano, que detém 75% dos direitos sobre a propriedade do Bloco de Búzi, escreve o jornal, acrescentando que a participação remanescente de 25% naquele bloco é propriedade do Governo de Moçambique, através da Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH).

Publicidade