O Instituto Nacional de Estatística (INE) moçambicano está a esclarecer dúvidas que circulam nas redes sociais e a apelar à população para que receba as equipas do Inquérito aos Orçamentos Familiares, cuja segunda fase arranca hoje.

“O INE tranquiliza a população e exorta-a a receber as equipes de inquiridores para que possam realizar os trabalhos de recolha de dados para este inquérito de extrema importância para a planificação do país”, sublinhou o organismo.

“Circula nas redes sociais um vídeo reportando a visita de indivíduos a residências” que o INE informa “tratar-se da continuação do Inquérito aos Orçamentos Familiares”, com o objetivo de “obter vários indicadores sobre as condições de vida dos agregados familiares em Moçambique”, anunciou.

Depois da recolha de dados para listagens, começa hoje a segunda fase de contacto pelas equipas de inquiridores, normalmente compostas por três pessoas: “um guia (que é o chefe do quarteirão), um motorista e um inquiridor”.

“Todos os agentes envolvidos neste inquérito foram capacitados em matéria de biossegurança pelo Instituto Nacional de Saúde com apoio dos parceiros de cooperação, no âmbito da prevenção da covid-19”, acrescentou.

O INE moçambicano anunciou ainda que estão a decorrer inquéritos sobre os impactos da covid-19 nas famílias e empresas, cuja recolha de dados está a ser feita por telefone – com contacto presencial apenas em empresas.

Moçambique regista um total acumulado de 987 casos de infeção pelo novo coronavírus, com oito óbitos e 270 recuperados.

Publicidade