A Federação Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (IFRC) alertou hoje que a insegurança alimentar devido aos ciclones Idai e Kenneth, em Moçambique, deverá afetar dois milhões de pessoas, havendo 38 mil crianças em má nutrição.

“Mais de meio ano depois dos ciclones Idai e Kenneth em Moçambique, milhares de pessoas estão em risco de surtos de doenças e degradação da segurança alimentar durante a estação de chuvas que se aproxima”, lê-se numa nota divulgada por esta Organização Não-Governamental, que aponta que “a insegurança alimentar deve afetar dois milhões de pessoas no princípio do próximo ano e quase 38 mil crianças estão já ou em risco de má nutrição”.

Na nota, a IFRC acrescenta que “os estragos causados pela água nos sistemas de saneamento e nas estruturas de higiene são em parte responsáveis pelo aumento dos riscos de saúde” e aponta que “as comunidades nas áreas mais pobres e nas regiões perto da Beira têm estruturas de saneamento e higiene desadequadas, o que expõe as famílias às doenças”.

Publicidade