A linha de apoio visa promover a tradução e edição no estrangeiro de obras escritas em língua portuguesa, por autores portugueses e por autores dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e de Timor-Leste, através de apoios financeiros e de bolsas para tradutores.

“Este novo instrumento destina-se a editoras estrangeiras e nacionais que apresentem candidaturas para a publicação de obras destinadas aos mercados e públicos no estrangeiro, podendo cada editor submeter mais do que uma candidatura. Para além de propostas editoriais de iniciativa das editoras, a linha contempla ainda uma modalidade de apoio à tradução e edição de obras referenciais da literatura portuguesa que, a par do apoio à tradução e edição, prevê igualmente a aquisição de exemplares”, lê-se num comunicado.

Segundo a mesma fonte, a linha de apoio à tradução e edição visa “estimular o conhecimento e a divulgação internacional do património bibliográfico em língua portuguesa e dos seus autores”, assim como “proporcionar um conjunto de recursos e de acervos para bibliotecas portuguesas ou internacionais, cátedras, centros de língua portuguesa e culturais ou universidades”, especialmente os que tenham protocolos de colaboração com o instituto Camões.

Outro objetivo desta linha é dar visibilidade a “autores e obras da literatura em língua portuguesa” nos mercados editoriais internacionais e “articular a difusão de autores e obras da literatura em língua portuguesa com as ações no âmbito da participação em feiras internacionais do livro, festivais literários e outros eventos internacionais”.

Publicidade