A iniciativa visa melhorar os níveis de segurança alimentar e promover a integração dos pequenos agricultores na economia nacional.

“A segurança alimentar é um fator fundamental na redução da pobreza, é parte significante da cooperação japonesa alargada a Moçambique”, refere-se num comunicado da representação diplomática.

O projeto designado “Virtual Farmers Market” é o primeiro do género no país e vai ser implementado em coordenação com o Programa Alimentar Mundial (PAM) das Nações Unidas.

Na nova plataforma digital, os agricultores poderão vender os seus produtos e ter acesso a informação meteorológica, aconselhamento sobre sementes (com apoio de técnicos) e outros dados para gerir as culturas, disse fonte da embaixada à Lusa.

Está previsto que os beneficiários recebam dispositivos móveis e treino para utilizarem o mercado virtual.

Trata-se de uma plataforma dedicada a pequenos produtores que também tem como objetivo capacitá-los na gestão do seu próprio negócio.

O Governo do Japão fornece assistência alimentar a Moçambique desde 1977.

Publicidade