O ciclo eleitoral na Guiné-Bissau, legislativas e presidenciais, está orçado 7,6 milhões de dólares e contaram com o apoio financeiro de vários países e organizações internacionais.

O representante do PNUD na Guiné-Bissau, David McLachlan-Karr, pediu a todos os atores envolvidos no processo eleitoral para concentrarem esforços nas operações para a realização de eleições, sublinhando que o processo de recenseamento eleitoral está na sua fase final.

Presentes na cerimónia estiveram também a ministra da Administração Territorial guineense, Ester Fernandes, e o presidente da Comissão Nacional de Eleições, José Pedro Sambu. Em 2019 vão realizar-se na Guiné-Bissau eleições legislativas e presidenciais, ainda sem data marcada.

As eleições legislativas estiveram marcadas para 18 de novembro, mas dificuldades técnicas e financeiras levaram ao atraso do início do recenseamento eleitoral, que obrigou ao adiamento do escrutínio para 2019.

O ciclo eleitoral na Guiné-Bissau, legislativas e presidenciais, está orçado 7,6 milhões de dólares e contaram com o apoio financeiro de vários países e organizações internacionais.

Publicidade