Numa viagem musical que encerrou com “Angola no Coração”, cantada com emoção pela assistência, Filipe Mukenga interpretou ainda, numa atuação de uma hora, sucessos como “Blues Pala Nguxi”, “Balabina”, “Weza” e “Ndilokewa”, que marcam o percurso do artista.

O músico começou a carreira em concursos para a descoberta de cantores infantis, como o Chá das Sete. Durante a juventude passou por formações de rock, como os The Five Kings, The Black Stars e Os Rocks.

Com o amigo Zé Agostinho formou o Duo Missosso e começou a buscar pelas recolhas. Na discografia encontramos “Novo Som”, “Kianda Kianda”, “Mimbu Iami”, “Nós Somos Nós” e “Meu Lado Gumbe”, a maioria destes projetos concebidos com o parceiro musical, Filipe Zau.

Esta foi a segunda edição do “Jazz é Fixe”, iniciativa da Fundação Sindika Dokolo, que arrancou a 9 de Novembro, com três vozes femininas, Sara Saka, Aylasa e Unekka. O projeto aposta no sentido estético-melódico e promete a auto-afirmação de todos os intervenientes, quer seja no panorama musical angolano como além-fronteiras.

Publicidade