Cristiano Ronaldo não será julgado por violação, soube-se esta segunda-feira. Segundo comunicado da Procuradoria de Clark County, de Las Vegas, Estados Unidos, Cristiano Ronaldo será ilibado das acusações de violação sexual à modelo Kathryn Mayorga.

“O Gabinete da Procuradoria de Clark County anunciou ter ter rejeitado a acusação de violação contra Cristiano Ronaldo, por atos ocorridos há 10 anos”, refere o comunicado emitido pela Procuradoria de Clark County nas redes sociais.

No mesmo documento, o gabinete da Procuradoria avança que “tendo em conta a informação disponível, as alegações de violação contra Cristiano Ronaldo não podem ser provadas, por não serem inequívocas”, pelo que “não serão feitas mais acusações”.

Recorde-se que a modelo norte-americana acusou Cristiano Ronaldo de violação. O caso remontava a junho de 2009, altura em que Kathryn Mayorga afirma ter sido abusada sexualmente pelo jogador português durante umas férias em Las Vegas. Face às acusações, a polícia de Las Vegas reabriu o caso.

Nas redes sociais, o avançado da Juventus procurou negar todas as acusações, apelidando-as de “notícias falsas”. “O que se publicou são notícias falsas. Querem promover-se à custa do meu nome. É normal, querem ficar famosos à minha custa. Faz parte do meu trabalho, mas sou um homem feliz e está tudo bem”, afirmou, tranquilamente, no Instagram.

As acusações em causa foram publicadas pelo jornal alemão Der Spiegel em abril de 2017, sendo que a publicação recuperou a peça na semana passada. A recuperação da notícia levou à reabertura da investigação por parte da polícia de Las Vegas, que se baseia também numa nova denúncia por parte da norte-americana de 34 anos. Mayorga, refira-se, aceitou um acordo extrajudicial em 2010, no valor de 375 mil dólares, para retirar todas as acusações.

Publicidade