“O processo foi transferido do distrito da Gorongosa para a província, porque é preciso olhar para a moldura penal abstrata aplicável para cada crime”, explicou Miguel Bachir, da Procuradoria Provincial de Sofala, acrescentando que dentro de poucos dias o juiz deverá definir a data do julgamento.

A detenção deste grupo, integrado por outros 13 moçambicanos que também vão responder criminalmente, aconteceu em 23 de dezembro de 2018, na região do Piro, Gorongosa, quando agentes de fiscalização do Parque Nacional da Gorongosa surpreenderam os acusados com centenas de toros de madeira dentro das instalações da empresa EDN Limitada, que se localiza numa zona-tampão do parque.

Publicidade