Em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários(CMVM), a elétrica liderada por António Mexia explicou que constituiu uma provisão de 285 milhões de euros para fazer face a esta questão e que “o impacto desta provisão não recorrente no resultado líquido da EDP ascende a 195 milhões de euros, traduzindo-se num resultado líquido do grupo EDP de 297 milhões de euros” nos primeiros nove meses de 2018.

O EBITDA (resultados antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) no mesmo período ascendeu a 2.410 milhões de euros, uma redução de 26% face ao período homólogo.

Publicidade