O Governo de Macau anunciou hoje uma medida para facilitar o pagamento de empréstimos de empresas que já beneficiavam de planos de apoio sem juros.

Esta medida abrange todas as empresas inseridas no “Plano de Apoio a Pequenas e Médias Empresas”, no”Plano de Apoio a Jovens Empreendedores” e “Plano de Apoio às Pequenas e Médias Empresas Afetadas pelo Tufão Hato”, explicou em conferência de imprensa a chefe da Divisão de Apoio às Atividades Industriais e Comerciais, Linda Chan.

“Até 31 de Outubro de 2019, no âmbito dos três planos de apoio acima referidos, foram aprovados 17.666 pedidos e o montante concedido totalizou 5.260 milhões de patacas (592 milhões de euros). De entre os referidos pedidos aprovados, encontram-se ainda em fase de reembolso 10.005 casos, com montante remanescente dos empréstimos de 2.660 milhões de patacas (299 milhões de euros)”, explicou o subdiretor dos Serviços de Economia, Lau Wai Meng, na mesma ocasião.

O valor máximo dos empréstimos varia entre as 300.000 patacas e as 600.000 patacas, dependendo do programa de apoio.

A medida agora apresentada justifica-se, “devido ao impacto da incerteza da economia global”, explicou.

O programa, denominado “ajustamento do Reembolso dos diversos planos de apoio”, tem como objetivo “apoiar as pequenas e médias empresas na resolução das dificuldades financeiras que possam surgir devido à recente desaceleração económica”, afirmou Linda Chan.

As empresas que adiram ao programa pagam mil patacas (110 euros) na primeira tranche da prestação do empréstimo, pagando o restante nas quatro prestações seguintes.

O Governo, apesar de não saber quantas empresas vão pedir para integrar este plano de apoio, adiantou que 736 empresas já se encontram em incumprimento, depois de terem falhado, pelo menos, uma tranche do empréstimo, sem juros, que lhes foi concedido.

Publicidade