A nova responsável do Fórum de Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Fórum Macau) vai substituir a atual secretária-geral adjunta, indicada pela Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), Echo Chan, que renunciou ao cargo.

Em comunicado, o gabinete do secretário para a Economia e Finanças destacou o trabalho desenvolvido pelo IPIM na promoção de Macau como “plataforma de serviços para a cooperação comercial entre a China e os países de língua portuguesa”.

No princípio deste ano, foi criado o Departamento de Promoção Económica e Comercial com os Mercados Lusófonos no IPIM.

Glória Batalha Ung, na direção daquele instituto desde 2015, poderá, ao assumir as duas funções, “congregar os recursos do secretariado e do IPIM, aumentando o apoio àquela instituição no desenvolvimento das atividades de intercâmbio a nível económico e comercial”, de acordo com o comunicado do Governo.

Criado em 2003 por Pequim, o Fórum Macau tem um Secretariado Permanente, reúne-se a nível ministerial a cada três anos e integra, além da secretária-geral, Xu Yingzhen, e de três secretários-gerais adjuntos, oito delegados dos países de língua portuguesa (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste).

Em 2017, as trocas comerciais entre a China e a Lusofonia fixaram-se em 117.588 milhões de dólares (cerca de 96 mil milhões de euros), verificando-se um crescimento de 29,4%.

Publicidade