Mais de 2 milhões de peregrinos se dirigiram nesta segunda-feira ao monte Arafat, ao leste da Meca, na Arábia Saudita, para participarem do ritual considerado como o momento culminante do “hajj”, a peregrinação à cidade sagrada que é considerado um dos cinco pilares do Islã.

Os peregrinos, 2.368.873 segundo os últimas números divulgados pelas autoridades sauditas, começaram a se reunir desde o amanhecer junto ao Monte Arafat, onde os muçulmanos acreditam que o profeta Maomé orou e pronunciou seu último sermão, o de despedida.

Lá os peregrinos subiram antes de realizarem a oração do meio-dia na mesquita de Namira, que é limítrofe ao monte.

O Ministério do Hajj saudita colabora na transferência dos peregrinos à Meca e dos fiéis que queiram subir ao Monte Arafat, que fica cerca de 20 quilômetros ao leste da cidade sagrada.

Ao pôr do sol de hoje, os peregrinos se dirigirão à cidade de Muzdalifa, onde passarão a noite e recolherão pedras, que serão lançadas contra as três colunas que simbolizam as tentações do diabo.

Este ritual é realizado no primeiro dia do “Eid al Adha”, a Festa do Sacrifício, que se prolongará durante quatro dias e é celebrado em todos os países de tradição muçulmana.

O “hajj” é a peregrinação mais importante realizada anualmente à Meca, a cidade mais sagrada para o Islã, e que todo muçulmano deve fazer pelo menos uma vez na vida se suas condições económicas e físicas permitirem.

Publicidade