O Tribunal da Praia mandou para a prisão preventiva mais um suspeito da “Operação Tróia”, um outro ficou sob termo de identidade e residência e mais um deverá ser ouvido pelo juiz esta sexta-feira, revelou fonte judicial.

Fontes judiciais dão conta que os três suspeitos foram detidos esta semana pela Polícia Judiciária (PJ), fora flagrante delito, em cumprimento de mandados do Ministério Público, por entender que existem factos que poderão incriminá-los.

Nesta operação, desencadeada no início de Julho passado, no bairro da Achada Eugénio Lima, na Praia, a PJ contou com o reforço das Forças Armadas e foram apreendidas 11,878 quilogramas de cocaína e valores em dinheiro no total de 16.137.684 escudos.

Foram apreendidas seis armas curtas, das quais um makarov, dois walther, uma pistola transformada calibre 6.35, uma pistola semi-automática de marca star, um revolver e uma arma longa, espingarda caçadeira semi-automática de calibre 12, aproximadamente 50 munições e seis viaturas.

Dez pessoas foram detidas, dessas seis ficaram em prisão preventiva com a acusação de tráfico de drogas.

Uma ficou sob termo de identidade e residência sob acusação de um crime de armas, as restantes, dois homens e uma mulher, saíram em liberdade sem qualquer acusação.

Entretanto, a mulher voltou a ser detida, juntamente com mais outros dois suspeitos e agora o tribunal decidiu que vai aguardar pelos trâmites ulteriores do processo em prisão preventiva. À lista de detidos, juntou-se estes três últimos desta semana.

Publicidade