As estações de metropolitano de São Paulo, a maior cidade do Brasil, terão câmaras que fazem reconhecimento facial, informou hoje o Metrô, empresa pública que gere o sistema.” [Haverá] a ampliação da segurança operacional do sistema com o aumento do parque de câmaras”, anunciou a empresa, que lançou um edital para a compra deste novo sistema no final de junho.

“Esse projeto, do jeito que está, não está vinculado à Secretaria de Segurança Pública. Mas ele permite que possa ser feito um convénio com a secretaria, receber o banco de dados deles e o utilizemos para monitorar”, acrescentou o presidente da companhia, Silvani Pereira, ao jornal brasileiro Folha de S.Paulo.

O responsável também revelou ao jornal que a estatal de transportes deverá aumentar o número de câmaras nas estações de 2.200 para 5.200. Na migração, deverão ainda ser extintos os equipamentos analógicos de imagem.

A rede de metropolitanos de São Paulo é uma das mais movimentadas do hemisfério Sul, com cerca de três milhões de passageiros por dia.

Incipiente no Brasil, a tecnologia de monitorização facial já foi usada no Carnaval deste ano na cidade do Rio de Janeiro, onde está em teste um sistema capaz de identificar fugitivos à Justiça, veículos roubados e até adeptos proibidos de frequentar estádios, e também no estado da Baía.

Publicidade