O diretor executivo da Microsoft, Satya Nadella, defendeu hoje em Davos, na Suíça, que a regulamentação da utilização e as aplicações da inteligência artificial é “crucial”, juntando-se assim ao já exposto pelo homólogo da Google, Sundar Pichai.

Durante uma mesa redonda com o fundador do Fórum Económico Mundial, Klaus Schwab, Nadella advertiu para o risco de deixar sem controlo o enorme poder que a inteligência artificial outorga às máquinas e aos homens que as controlam, pelo que os envolvidos não podem abdicar da sua responsabilidade.

Uma das críticas mais frequentes às ferramentas que empregam inteligência artificial é a distorção que mostram – de género, racial, etc -, que obedece à distorção dos técnicos e que, segundo Naddella, se pode evitar fomentando a diversidade.

O executivo da Microsoft referiu-se também à “dignidade dos dados” que controlam as grandes empresas, dados dos consumidores que estes têm que poder controlar em qualquer momento, não só quais são como também o uso que se faz dos mesmos.

Publicidade